segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Festa 2011

Um pouco por todo o concelho, os festejos religiosos multiplicam-se, e na Torre, a N. Sr.ª de Fátima não foi esquecida. As festas realizaram-se do dia 12 ao 15 de Agosto.
Muita música e animação foi o que ofereceram os mordomos da festa (Roberto, Norberto, Franck e Armando) aos habitantes da Torre, aos emigrantes da terra e, a quem por lá passou e se juntou à festa. Na sexta-feira procedeu-se a um churrasco oferecido ao povo com a abertura da quermesse, seguido do baile com o arraiano Filipe Nunes, que abrilhantou o recinto de festas, onde todos puderam dar um pezinho de dança até altas horas da madrugada. Nestes quatro dias, poucos foram os que dormiram, pois já diz o ditado  “A vida são dois dias, mas a festa da Torre são quatro”.
No sábado a noite, houve a actuação do grupo musical “Fora de Série”.
No domingo a tarde, relembraram-se alguns jogos tradicionais com a pequena juventude da terra e arredores. À noite seguiu-se a tradicional missa e procissão das velas. Este ano na procissão das velas, os mordomos quiseram acompanhar N. Srª. com a representação dos pastorinhos de Fátima (Mattéo representava Francisco; Flavie era Jacinta e Anaïs representava Lúcia). A população ficou encantada e surpreendida com a iniciativa. Seguiu-se depois no arraial das festas o baile com o grupo “Fora de Série”, e acabou-se com mais uma novidade para a terra, discoteca com espuma.
 Na segunda, realizaram-se as cerimónias religiosas a N. Sr.ª de Fátima, com a chegada da fanfara, pelas 9 horas, que tocou pelas ruas da aldeia. A festa teve continuação com animações para todas as idades, insufláveis e touro mecânico. Por fim a  noite continuou com um grupo musical. Durante a actuação foram ainda sorteadas as rifas vendidas pela Comissão de Festas para ajudar a pagar as despesas da festa.
A mordomia agradece a todos, que participaram e colaboraram de qualquer forma para a realização da festa.
Os mordomos de 2012 são: Victor Passos; Luís Marques; Manuel Carriço e David Brás.
Mordomos 2011

Um agradecimento especial as nossas fotógrafas

Festa 2011

video

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Festa de Aniversário da Associação- 2011


No dia 6/08/2011, celebrou-se o 8º Aniversário da ACRT, nas instalações da mesma. Para o efeito, a Associação ofereceu aos associados um jantar de porco no espeto, petiscos, fruta e bebidas. Compareceram ao evento cerca de 150 associados e tendo respondido ao convite, entre outros, o Presidente da Câmara, Eng. António Robalo, a Vice- Presidente, Drª. Delfina, e o Presidente da Junta de Freguesia, Sr. Manuel Rasteiro.
O repasto foi seguido de um baile, abrilhantado pelo acordionista Gilberto Neves, o que permitiu que a festa se prolongasse pela noite dentro.
Na sequência da festa foram inauguradas as obras recentes, a saber, as instalações da quermesse, do bar exterior e candeeiros, foram ainda colocadas duas árvores tendo em vista proporcionar um local de sombra e são convivio aos associados.
Resta-nos agradecer a todos os associados e amigos, contamos sempre com a  vossa presença e auxilio.













segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Homenagem a Frei João Domingos em Angola - 7/8/2011

No dia 7 de Agosto de 2011, o Povo Angolano realizou uma missa em homenagem ao Frei João Domingos o.p., tendo convidado familires do mesmo que se deslocaram a Angola.
Foi com sentida emoção que a  irmã São, o cunhado Joaquim, o irmão Frei Pedro, os sobrinhos Daniel, Sandra e Dário Fernandes, estes que se deslocaram do Canadá, acompanharam este evento.
A missa dominical de homenagem foi transmitida em directo pelo canal Angolano TPA, e ao longo da celebração foi evidente a importância do nosso conterrâneo Frei João Domingos para a comunidade cristã Angolana, em geral, e em especial, para a Paróquia do Carmo. Todavia, a sua intervenção em Angola foi também transversal  na sociedade e forma de pensar dos Angolanos, daí a importância que o Ministério da Cultura Angolana imprimiu a este evento, partindo deste organismo o convite oficial aos familiares residentes em Portugal e no Canadá. Esta celebração só nos permite comprovar o testemunho deixado pelo nosso conterrâneo em Angola, em palavras e obras, o que muito também nos engrandece como pessoas e nos enche de orgulho.
Bem Haja Frei João Domingos